Arquivo da categoria: quem é quem

FNO: lançamento livro “Moda em diálogos”

O Fashion Night Out é na quarta-feira aqui no Rio e várias marcas preparam ações interessantes, principalmente no Fashion Mall e Shopping Leblon. Uma delas é o lançamento do livro “Moda em Diálogos”, da editora Memória Visual, na Livraria Cultura do Fashion Mall – mais um livro para entrar na lista do “tem que ter”! Ainda mais imperdível será o bate-papo com a Ruth Jofilly (que é fera em moda, uma das primeiras profissionais no Brasil a escrever sobre o assunto) e Lu Catoira. Estarei lá!!

Frankie says Relax

O “Frankie Goes to Hollywood” foi uma banda de muito sucesso na Inglaterra nos anos 80. O single “Relax” fazia apologia ao sexo e causou alvoroço – foi banido da BBC e tudo (e talvez por isso mesmo fez sucesso…), e daí sugiu o frase “Frankie says Relax” que começou a aparecer em camisetas.

Muito engraçado como uma peça de moda datada é usada completamente fora de contexto… pelo vendedor de flores no Columbia Flower Market. Pela idade, acredito que ele deve ter vivido bem aquela época!

Alexandr Rodchenko : última semana

Para os cariocas que ainda não foram na exposição do fotógrafo e designer Alexandr Rodchenko, no Instituto Moreira Sales, corram, porque só fica em cartaz até domingo dia 06 de fevereiro. É grátis, o Instituto Moreira Sales é lindo, e o trabalho de Rodchenko é daqueles que é preciso conhecer – ele revolucionou o papel da fotografia experimentando novas perspectivas e fotocolagem nos anos 20 e 30 na Rússia.

Seu slogan era: “Nosso dever é experimentar”.

Continuar lendo

Corinne Day

Homenagem à fotógrafa Corinne Day que faleceu na sexta-feira dia 27 de cancer no cérebro. Ela despontou nos anos 90 com o estilo que ficou conhecido como “heroine chic”, associado à Kate Moss que na época tinha apenas 15 anos e foi extensamente fotografada pela amiga Corinne. Suas fotos traziam um ar de documentário / realidade e contrastavam imensamente com as imagens polidas das revistas da época.  Corinne Day é um dos nomes mais conhecidos e importantes da fotografia de moda dos anos 90.

Maison Martin Margiela 20

A Sommerset House em Londres abriu na semana passada uma exposição celebrando os 20 anos da Maison Martin Margiela – um dos estilistas mais enigmáticos (ele nunca aparece) e bem conceituados da moda contemporânea. A expo, que já passou pela Antuérpia e Munique, chega com suas peças avant-garde, instalações, vídeos de desfiles e filmes mostrando o acervo de três colecionadores. A montagem não foi feita de maneira cronológica, mas por tópicos que são características da Maison, como o anonimato de Margiela, as costuras sem acabamento, desconstrução das roupas e peças oversized, entre outros. Quero muuuuito ir!!!

Giles vai para Ungaro

Mais um estilista inglês é “fisgado” como Diretor de Criação por uma marca internacional. Dessa vez foi Giles Deacon (que já assina a coleção da Daks, além de sua própria), que passará a responder pela Ungaro. Babado! Pós-Lindsay Lohan; pós-pedido demissão na semana passada da estilista anterior… Parecia que Ungaro estava desabando e eis que chega Giles. Será um grande desafio com certeza. O que será que Giles (cujo estilo é mais trendy-minimalista priorizando o corte e os tecidos diferenciados) vai fazer com a Ungaro que é pautada em sex appeal, em roupas que evidenciam o corpo?

Abaixo, a lista de outros ingleses em marcas internacionais:

John Galliano na Dior

Phoebe Philo na Celine

Marios Schwab na Halston

Christopher Kane assinando a linha Venus da Versace

Jonathan Saunders na Pollini

Stuart Vevers na Loewe

Sykes na Acquascutum

… entre outros …

leilão histórico na Christie’s : Isabella Blow

Para quem estuda moda é impossível não conhecer Isabella Blow. Ela foi jornalista, assistente de Anna Wintour na Vogue americana, trabalhou na Vogue UK e no Sunday Times, foi editora de moda da Tattler e uma das mulheres mais excêntricas da Inglaterra. Um dos seus atos mais conhecidos foi ter comprado a coleção de graduação de Alexander McQueen inteira (supostamente por £5,000, pagos em lotes de £100 semanais) se tornando assim a grande impulsionadora de seu trabalho e uma das melhores amigas do falecido estilista.

Isabella se suicidou em 2007 aos 48 anos, e agora suas irmãs irão leiloar suas roupas – inclusive 90 McQueens e 50 chapéus do famoso Phillip Treacy (dizem que ela usava chapéu até no café da manhã). O leilão será feito pela Christie’s no dia 15 de setembro as 10.30 (horário local).

O leilão será feito pela Christie’s no dia 15 de setembro as 10.30 (horário local). Para acompanhar o evento a Thames and Hudson estará lançando um livro-tributo a Isabella Blow, o que já não era sem tempo! Com certeza será um evento histórico – porque Isabella era uma figura pública muito conhecida e respeitada na moda, e porque grande parte de seu acervo é de Alexander McQueen, que também cometeu suicídio recentemente.

Joanna Sykes nomeada diretora de criação da Acquascutum

Babado!!!

Lembra que na época do London Fashion Week falei aqui de Joanna Sykes, uma das minhas grandes – e boas – surpresas na outra edição da semana de moda londrina? Pois bem, ela acabou de ser nomeada Diretora de Criação da Acquascutum, marca inglesa também conhecida pelos casacos macs, que há algum tempo tenta se adequar aos tempos atuais. A menina-prodígio irá responder por todo o departamento de criação, que engloba estilo feminino, masculino e acessórios. Não disse que ela é boa??? AMEI a notícia e já estou super curiosa para ver seu debut na marca. O estilo de Sykes é clássico com um “twist” contemporâneo, perfeito para a Acquascutum!

matéria da Vogue (abril 2010): Clements Ribeiro

demorei tanto para postar isso que já está quase fazendo aniversário de 1 mês… abaixo minha matéria na Vogue de abril, entrevista com Inácio Ribeiro da Clements Ribeiro. ainda dá tempo de comprar a revista nas bancas!

O Punk está de luto

Morreu ontem Malcolm McLaren, ex de Vivianne Westwood e antigo empresário e criador da banda Sex Pistols.

Londres, 1971: Vivianne Westwood já tinha deixado seu lado rebelde falar mais alto e desistido de ser professorinha de colegial. Em 1965 ela havia conhecido Malcolm McLaren, pai de seu segundo filho, que lhe abriu os olhos em diversos aspectos, inclusive para questões políticas. Em 1971 eles abriram a loja ‘Let it Rock’ em King’s Road. Lá vendiam criações de Vivienne que eram pautadas no rock n’ roll e no espírito rebelde.  King’s Road não era a rua chique que é hoje. Ela tinha começado a se destacar nos anos 60 do Swinging London como o local da juventude, onde Mary Quant tinha começado a vender as mini saias e Ossie Clark abalava com suas criações para o jet set londrino. No meio dessa efervescência, a Let it Rock entrou com um tom mais ‘bad boy’, com muito preto e camisetas decoradas com ossos de galinha (em 75 mudou de nome para ‘Sex’ – as vendedoras andavam semi-nuas ou com roupas de latex. LOUCURA…)

A loja agregava todos que não se enquadravam nos padrões sociais e políticos pré-estabelecidos pela Inglaterra reprimida. E foi lá que um desses rebeldes, John Lydon, conheceu a dupla Westwood-McLaren. Malcolm transformou Lydon em Johnny Rotten e formou os Sex Pistols. Assim surgia o Punk Britânico, movimento embalado pela banda da qual Malcolm era empresário, e que vestia as roupas criadas por ele e Vivienne.

McLaren foi empresário de diversas outras bandas e ele mesmo emplacou alguns sucessos. A parceria com Vivienne Westwood acabou em 1983 – os Sex Pistols duraram bem menos do que isso, mas eles e Malcolm marcaram a história da música e da atitude na moda para sempre. Ele morreu de câncer, ontem em NY, aos 64 anos.